Em Destaque

ENFERMEIROS: UM APELO AO PODER POLÍTICO

Da justeza das exigências à razoabilidade das soluções - um espaço a encurtar Somos um grupo de enfermeiros que ao longo da história...

Artigo de Opinião

A PROPÓSITO DO DIA MUNDIAL DA SAÚDE (7 DE ABRIL)

A. Têm boas razões os enfermeiros que se sentem lesados nas suas condições de trabalho. Não é caso único. Há muitos grupos profissionais a sentirem a mesma pressão no trabalho.

B. São essencialmente os mais jovens. Os mais velhos conhecem o rápido crescimento da profissão e da área de conhecimento respetiva. A história mostra que em poucas décadas houve uma evolução no sentido de desenvolvimento de competências e a respetiva autonomia para exercer a profissão. Mas o ambiente de cansaço e de lamentações, lideranças pouco eficazes, as pressões sociais e a cultura do imediatismo têm reflexos no exercício profissional no dia a dia.

De uma forma geral o desempenho profissional está num nível abaixo das qualificações profissionais dos enfermeiros. Mas há muitos exemplos nos serviços de saúde, ao nível da gestão e nas escolas, de enfermeiros que se sentem orgulhosos de ser enfermeiros e atentos à possibilidade de intervir como cidadãos de forma a melhorar a situação.

Na actalidade há janelas de oportunidade que não se podem perder. Ex: as políticas para a investigação são favoráveis aos estudos em enfermagem, ás possíveis alterações na carreira, ás alterações no sistema de ensino de enfermagem, entre outras.
C. Verifico que há enfermeiros que, para além das suas funções fazem questão de explicar áqueles com quem trabalham o que fazem e porquê, o que deviam fazer de acordo com as suas qualificações e com o saber que detêm, mostrando também o que resulta da investigação já existente sobre a eficácia do seu raciocínio clínico por força da análise de situações clinicas, levando em conta as diferenças individuais.

O processo do raciocínio clínico tem por base essa avaliação inicial que permite decidir intervenções terapêuticas, que por sua vez são avaliadas.

A investigação acompanha todas as etapas e transforma- se em orientações técnicas e guidelines.

A intencionalidade dos cuidados é claramente o máximo de bem estar, relacionado com as transições em que a pessoa se encontra. Do meu ponto de vista, este é um contributo individual ou de grupo muito importante. Ao contrário dos profissionais de saúde com que trabalhamos, as pessoas cuidadas expressam-se claramente.

D. É preciso que fique claro que a continuidade dos cuidados de saúde fica assegurada pelos cuidados de enfermagem.

Relativamente à profissão nos ultimos 10-15 anos, há a realçar:

- O conhecimento estruturado, mas sempre em aberto ao questionamento e validação;
- O grau de Doutor em Enfermagem, bem caracterizado;
- O nível de investigação reconhecido, com produção científica em percentagem maior do que noutras disciplinas na área das ciências da saúde;
- O reconhecimento a nível internacional – EANS
- A regulação profissional avançada, como suporte da prática profissional e com reconhecimento internacional.


28/03/2018 MARTA LIMA BASTO

António Arnaut deixa-nos! Mas …


… O  seu legado  permanecerá porque somos muitos a defendê-lo.

Sim, ao Homem que hoje deixou de estar entre nós queremos como cidadãos e enfermeiros afirmar que o seu exemplo de liberdade, verticalidade e lutador pela causa pública tem em nós a marca mais importante da democracia portuguesa – o SNS – que foi, é e será o pilar essencial para o acesso aos cuidados que todos os cidadãos têm direito.

É  no SNS que António Arnaut fundou que, quase quarenta anos depois,  todos os cidadãos  têm lugar pela sua universalidade e onde ninguém pode ficar à porta na concretização do seu direito à saúde.

Sempre levantou a sua voz na defesa intransigente do bem público que é a saúde e em consequência nos  momentos de tentativas de recuo por visões economicistas foi dos primeiros a denunciá-las apontando com clareza o seu significado para o agravamento das injustiças e desigualdade.

Também não podemos deixar de dizer o nosso obrigada pela sua permanente referência à importância do reconhecimento dos profissionais pelos saberes que colocamos ao serviço dos nossos concidadãos e do estímulo necessário para a sua dedicação.

Por tudo isto a melhor homenagem que este grupo de enfermeiros lhe quer fazer é continuarmos a ser obreiros na obra que ele começou.

Não abdicaremos de continuar a lutar para que o nosso SNS seja cada vez mais aquilo que na sua génese foi estruturado e que por isso é património de todos nós  .